0
0
0
s2sdefault

NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO

14 DE SETEMBRO DE 1741 - CAPELA DE NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO


Francisco Carvalho doou uma légua de campo e uma porção de animais vacuns e cavalares para a formação do patrimônio. A escritura foi lavrada a 26 de abril de 1741. A capela foi construída em boas proporções, por isto chamada Capela Grande. Estando pronta a Capela um padre Jesuí-ta que por ali passou a benzeu sem que para este fim estivesse autorizado.

Tendo notícia deste fato o Pe. Mateus Pereira da Silva, vigário da Igreja de Santo Antônio dos Anjos da Laguna, que a dita Capela era filial, a declarou interditada e comunicou ao Bispo D. João da Cruz, o qual não só aprovou o ato do vigário, como por provisão de 20 de setembro de 1745 concedeu-lhe licença para visitar, benzer e nela celebrar.
Em 14 de maio de 1746 o Pe. Mateus Pereira da Silva a visitou e inventariou todos os seus bens.

Em 15 de maio a benzeu e nela celebrou.
Tenente Francisco Pinto Bandeira – assumiu em 26 de maio o cargo de procurador da Capela.
Coube a Dionísio Rodrigues e a Jerônimo D’Ornellas e Menezes repararem e ornarem a Capela na qualidade de tesoureiros.
Grande benfeitora foi Ana Guerra, natural de Laguna.
Neste período foi atendida pelo Vigário de Laguna, pois pertencia a esta jurisdição. Porém, a população aumenta e devido à distância que se achava da sede da paróquia, os moradores requereram a ereção em freguesia.

 

Viamão em 1746 – 50 famílias com mais de 200 pessoas (Tramandaí tinha 9 famílias com 82 pessoas). Distava de Laguna 80 léguas.
    

Relatório da paróquia de Laguna em 12 de setembro de 1747 afirma categoricamente: “Os de Viamão têm uma Capela e possibilidade para ter Sacerdote; pelo que já Sua Excia. Revma. lhes deu providência.”

Foi no tempo da controvérsia dos limites entre Rio de Janeiro e São Paulo que foi criada a paróquia de Nossa Senhora da Conceição de Viamão.
O bispo de São Paulo, antes da decisão final, estava convencido que a região pertencia a sua jurisdição, já que D. João V o encarregara de providenciar a assistência religiosa dos casais açorianos a caminho do sul.
D. Bernardo Rodrigues Nogueira, primeiro bispo de S. Paulo, que erigiu a 14 de setembro de 1747 a Paróquia Nossa Senhora da Conceição, de Viamão, destacada de Laguna.

A Irmandade do Santíssimo Sacramento e Nossa Senhora da Conceição deram ao padre uma morada de casas para residência.
De S. Paulo receberam nomeação e jurisdição os dois primeiros párocos.
O primeiro pároco de Viamão foi o Pe. Antônio Sampaio, natural de Paranaguá. Tomou em 1748 com 61 anos de idade e saiu no ano seguinte.
Em 1749 sucedeu-lhe o Pe. Manuel Luís Vergueiro que ficou só por 1 ano.
Novamente, o pároco de Laguna, Pe. Mateus Pereira da Silva, volta a atender a paróquia vacante.

O novo pároco de Viamão foi o Pe. José Carlos da Silva (1750-1763), nomeado vigário da vara de Viamão. É o primeiro pároco de todo o Rio Grande.
Desmembramento de Viamão da Freguesia Nova, Bom Jesus de Triunfo – em 1754.
Fundação da Capela de Sto. Antônio da Patrulha – 31 de agosto de 1760.
Pedido dos moradores para licença para fundar uma nova matriz – 27 de abril de 1751, por provisão de d. Frei Antônio do Desterro, bispo do Rio de Janeiro.
1763 – Viamão, capital do Continente do Sul, instalação da Câmara devido a tomada dos espanhóis de Rio Grande.

10 de agosto de 1767 – o Governador José Custódio de Sá e Faria, o vigário da vara José Antônio Borges, o vigário encomendado José dos Reis Custódio, a irmandade do SS. Sacramento e N. S. da Conceição deliberaram fazer a nova igreja.
21 de setembro de 1767 – lançada a pedra fundamental pelo Vigário da Vara com o mestre carpinteiro Francisco da Costa Senne.
13 de junho de 1778 – entra em cena o pároco mais importante de Viamão, primeiro padre gaúcho, Pe. João Dinis Álvares de Lima.

18 fevereiro de 1787 – ameaçando ruína pela má construção, o vigário João Diniz e a irmandade determinaram erigir outra igreja.
11 de junho de 1797 – realiza-se a transladação de Nossa Senhora da Conceição para a nova matriz.
1799 – O Pe. Bento Cortes de Toledo escreve sobre o Pe. Diniz: “Foi vigário nesta Matriz e ao seu zelo, esmola e cuidado se deve o benefício de ter esta freguesia uma Matriz completa e asseada a sua lembrança será memorável assim pelo bem que fez, como pelo comportamento que teve o escercício paroquial.”

Sobre a igreja escreve o Pe. Bento – “Esta bela e grande Igreja, erecta à custa do povo e que era a mais linda da Diocese tem 195 palmos de comprimento e 57 de largura; e a Capela Mor tem 31 palmos de largura e 22 de comprimento. Além de riquíssimo Altar Mor, se vê no alto do trono a padroeira, e aos lados a Senhora do Parto e Santa Isabel de suma perfeição, contem mais 6 altares laterais todos com belas obras de talha abundância de dourados e lindas imagens; uma vasta sacristia, e ao lado do evangelho uma elegante capela onde se venera uma grande e perfeita imagem do Senhor dos Passos.”


A igreja é tombada em nível nacional e considerada patrimônio cultural brasileiro, pelo decreto de julho de 1938. Faz parte do primeiro lote de tombamentos do Brasil, pelo serviço do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. É um dos símbolos mais significativos da identidade local.


A Igreja Nossa Senhora da Conceição de Viamão, é a segunda igreja mais antiga do Estado do Rio Grande do Sul. Projetada pelo Engenheiro Militar José Custódio de Sá e Faria, com traços de fortificação, sua construção iniciou em 1767 e foi concluída em 1841. É um belo exemplar do Barroco Brasileiro.

 

 


 

 

 

 

 

 

 

 

 

Benfeitores

PARÓQUIA NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO

  • Praça Cônego Bernardo Machado dos Santos, 53
  • Viamão - RS
  • (51) 3485.1515